Em nota publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta terça-feira, dia 4 de dezembro, a agência alertou profissionais da saúde sobre o risco de câncer de pele com o uso de hidroclorotiazida.

A hidroclorotiazida é um diurético indicado para o tratamento de hipertensão arterial sistêmica, edema associado à insuficiência cardíaca, renal ou hepática, entre outras doenças. Esse medicamento faz parte da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename), consta do esquema de tratamento da hipertensão arterial recomendado pelo Ministério da Saúde (Caderno de Atenção Básica nº 37) e é disponibilizado gratuitamente para pacientes atendidos pelo SUS. No Brasil, é encontrado sob inúmeros nomes comerciais, além do nome genérico, e é utilizado amplamente pela população brasileira.

O alerta da agência brasileira se fundamentou na nota informativa da agência reguladora europeia (European Medicines Agency - EMA), em estudos epidemiológicos e em dados de farmacovigilância europeus e brasileiros que apontaram que pacientes em uso contínuo e prolongado de hidroclorotiazida poderiam ter risco aumentado de câncer cutâneo não-melanocítico.

Além disso, outras autoridades reguladoras, tais como a agência do Reino Unido (The MedicinesHealthcare products Regulatory Agency - MHRA) e a agência espanhola (Agencia Española de Medicamentos y Productos Sanitarios - AEMSP) já haviam se manifestado sobre o tema com publicação de alertas sanitários e inclusão de notas sobre segurança nas bulas dos medicamentos contendo este fármaco.

A Anvisa tomou duas medidas sanitárias importantes: emitiu o Alerta Sanitário com vistas a informar aos profissionais da saúde e aos pacientes sobre o risco de câncer, e solicitou aos fabricantes da inclusão imediata de informações adicionais sobre segurança nas bulas de todos os medicamentos que contêm hidroclorotiazida, tanto os de marca quanto os genéricos e similares.

O Conselho Federal de Farmácia (CFF),  por meio do Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos (Cebrim), recomenda aos farmacêuticos que informem aos pacientes em uso de hidroclorotiazida, especialmente aqueles que fazem uso prolongado e/ou de doses elevadas, de que isso pode aumentar o risco de ocorrência de alguns tipos de câncer de pele e no lábio (câncer de pele não-melanocítico).

Aos farmacêuticos que acompanham pacientes com antecedentes de câncer de pele não-melanocítico, o CFF recomenda que os encaminhem para reavaliação médica para verificar a possível ocorrência de alterações cutâneas e para reconsideração do tratamento.

Aos pacientes, o farmacêutico deve informar sobre as precauções a serem observadas tais como, limitar a exposição excessiva ao sol e/ou aos raios ultravioleta e a usar fotoproteção adequada.

Além disso, os pacientes devem observar periodicamente a pele e procurar um especialista para avaliação, em caso do aparecimento de lesões cutâneas suspeitas ou mudanças de aspecto de lesões já existentes.

 

Paciente, consulte o seu farmacêutico antes usar hidroclorotiazida

Nota da Gerência de Farmacovigilância (Anvisa) - https://bit.ly/2RDno6b

 

 

A Anvisa divulgou novos produtos irregulares no Diário Oficial. O lote 7040175 do medicamento Levofloxacino teve distribuição suspensa. O lote 20202317, do medicamento Furosemida, também recebeu ordem de suspensão. Confira outros produtos irregulares:

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.334, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Determinar, como medida de interesse sanitário, a suspensão, em todo o território nacional, da distribuição, comercialização e uso do lote 7040175 (Val 04/2019) do medicamento Levofloxacino 5 mg/ml, solução injetável 100 ml, fabricado por Halex Istar Industria Farmacêutica S.A. (CNPJ: 01.571.702/0008-64).

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.335, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Determinar, como medida de interesse sanitário, a suspensão, em todo o território nacional, da distribuição, comercialização e uso do lote 20202317 (Val 04/2019) do medicamento Furosemida 20 mg, solução injetável de 2 ml, fabricado por Santisa Laboratório Farmacêutico (CNPJ: 04.099.395/0001-82).

 

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.288, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Revogar a Resolução-RE nº 834, de 24 de março de 2017, publicada no D.O.U. nº 59, de 27 de março de 2017, Seção 1, pág. 91, que havia determinado, como medida de interesse sanitário, em todo território nacional, a suspensão da fabricação, distribuição e comercialização de todos dos produtos sujeitos à Vigilância Sanitária fabricados pela empresa JM Artefatos Metálicos Ltda., CNPJ 46.374.500/0105-80, localizada à Rua General Enrico Cavaglia, n° 556, bairro Vila Moraes, São Paulo, SP.

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.289, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Revogar a Resolução-RE nº 325, de 7 de fevereiro de 2017, publicada no D.O.U. nº 28, de 8 de fevereiro de 2017, Seção 1, fls. 35, que determinou como medida de interesse sanitário, em todo o território nacional, a suspensão da importação, distribuição, comercialização e uso dos produtos Graftys HBS e Graftys BCP, importados pela empresa LAS-Latim America Solutions Imp. e Exp. Ltda, CNPJ 09.183.319/0001-74, localizada na Rua Caramuru, 346 - Praça da Árvore, São Paulo-SP.

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.290, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Determinar, como medida de interesse sanitário, em todo o território nacional, a suspensão da distribuição, divulgação, comercialização e uso dos lotes do produto SANCTIO TONICO CAPILAR - YEVA COSMETIQUES que traz na rotulagem "ESTIMULA O CRESCIMENTO DOS FIOS" fabricado pela empresa Laccos Indústria de Cosméticos Ltda. (CNPJ: 09.437.796/0001-19), Autorização de Funcionamento nº 2.04842- 1.

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.332, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Determinar, como medida de interesse sanitário, em todo o território nacional, a suspensão da importação dos medicamentos Artelac® ; Epitegel® ; Liposic® e Vidisic® , pela empresa BL Indústria Ótica Ltda., CNPJ: 27.011.022/0001-03 e a suspensão da distribuição; a comercialização; o uso e o recolhimento do lote 847 do produto Epitegel® , data de fabricação 06/06/2017, data de validade 05/2019, fabricado pela mesma empresa.

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.333, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Determinar, como medida de interesse sanitário, em todo o território nacional, a proibição da fabricação, distribuição, divulgação e comercialização por loja física ou de forma remota do medicamento denominado "Levlym" .

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.336, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Determinar, como medida de interesse sanitário, em todo o território nacional, a proibição da divulgação e comercialização e uso de todos os produtos divulgados no sítio eletrônico www.suplementosmaisbaratos.com.br de empresa supracitada, localizada na Avenida Embaixador Abelardo Bueno, 3300, sala 806, bairro Barra da Tijuca, CEP: 22.775-040, Rio de Janeiro/RJ.

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.337, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Determinar, como medida de interesse sanitário, a suspensão, em todo o território nacional, da distribuição, comercialização e uso dos lotes 8020304, 18020261, 18031258, 18040894, 18050065 e 18051195 do medicamento PYLORIPAC RETRAT (Lansoprazol + levofloxacino + amoxicilina) cápsula gelatinosa dura de liberação retardada, registro 1832600600021, fabricado por Medley Farmacêutica Ltda, (CNPJ: 10.588.595/0007- 97).

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.338, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º. Determinar, como medida de interesse sanitário, em todo o território nacional, a interdição cautelar do lote 74LK4171 (Val 09/2019) do medicamento KABIPAC 5% (glicose), solução injetável 250 mL, fabricado por Fresenius Kabi Brasil Ltda (CNPJ: 49.324.221/0001-04). 

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.340, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Tornar sem efeito a Resolução-RE nº 2.260, de 17/08/2018, publicada no D.O.U. nº 160 de 20 de agosto de 2018, Seção 1, Pág. 45 que determinou a proibição da fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e uso dos produtos POMADA SUCURI e POMADA SUCUPIRA, fabricados pela empresa VIA BRASIL COSMÉTICOS E PERFUMARIA LTDA, CNPJ nº 070.533.727/0001-83.

RESOLUÇÃO-RE Nº 3.341, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2018

Art. 1º Determinar, como medida de interesse sanitário, em todo o território nacional, a proibição da fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e uso do produto POMADA SUCURI, cujo rótulo consta os dados da empresa VIA BRASIL COSMÉTICOS E PERFUMARIA LTDA, CNPJ nº 070.533.727/0001-83, e localização na Rua José Beltran, 122, Coroados - SP.

 

Fonte:

Departamento de Comunicação CRF-SP

 

10/12/2018

 

 

                                                        Campanha Salarial 2018 – Farmácia Hospitalar 

 

Agendada para o dia 14 de dezembro, sexta-feira, às 8hrs,  reunião de negociação coletiva entre Sindicato dos Farmacêuticos do Estado de Minas Gerais (Sinfarmig) e Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde de Minas Gerais (Sindhomg).

Estamos em um momento importante da campanha salarial de Farmácia Hospitalar  e por isso conclamamos toda a categoria a participar conosco das reuniões de negociação. 

O envolvimento de cada um é fundamental para avançarmos, garantirmos nossos direitos e conquistarmos uma Convenção Coletiva de Trabalho mais justa e digna. 

Participem! 


Data: 14/12/18 (sexta-feira) 

Horário: 8h

Local: Hospital Infantil Padre Anchieta / Rua Major Delfino de Paula, 2356 Bairro São Francisco

 

 

Fonte: Sinfarmig

Publicada em 10/12/18

 

Comando da Aeronáutica deu início ao processo de convocação para a seleção de profissionais de nível superior, com o objetivo de atrair voluntários à prestação do serviço militar temporário. Os farmacêuticos estão entre os profissionais cobiçados, com 65 vagas disponíveis e remuneração compatível com o posto de aspirante a oficial.

As inscrições ocorrerão no período de 19 a 30 de novembro de 2018, seguindo as normas estabelecidas no Aviso de Convocação. Além do bacharelado em Farmácia e registro no Conselho Regional de Farmácia de sua respectiva jurisdição, o candidato deve ter especialidade comprovada na área bioquímica, industrial, hospitalar com foco em radiofármacos ou em oncologia.

Após a análise dos currículos, a seleção será realizada entre janeiro e abril de 2019. Os profissionais aprovados passarão por um estágio de adaptação técnica ao longo de 12 meses e serão alocados para uma das seguintes cidades, de acordo com a área de atuação – Barbacena e Lagoa Santa (MG); Brasília (DF); Campo Grande (MS); Canoas e Santa Maria (RS); Curitiba (PR); Florianópolis (SC); Guaratinguetá, São José dos Campos e São Paulo (SP); Natal (RN); e Rio de Janeiro (RJ).

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Mais Artigos...